terça-feira, 24 de outubro de 2017

Em tempos de crise, música que acalma e traz saúde

Provavelmente devido à "características de DNA", sou extremamente ligado à música. Esteja trabalhando, no carro, fazendo alguma tarefa em casa, lendo, escrevendo, é fato que - se for possível - haverá sons melódicos e harmônicos ao meu redor.

Nem todos são assim, óbvio. Há também quem não goste de ler, assistir filmes, ver o por do sol, admirar plantas, cuidar de animais, tirar fotografias (não estou falando de selfies com o celular). Enfim a gama de gostos e desgotos é à la carte: cada cliente da vida tem seu próprio ranqueamento de interesses, de como usar seu tempo livre e seu tempo "preso", de acordo com as oportunidades.

Assim, se abordo aqui músicas de diversos gêneros - Jazz, Blues, Rock, MPB, Pop, Erudito - tal tema vai interessar apenas a uma parte dos prováveis leitores. O mesmo se for comentar sobre os outros itens que citei (livros, filmes, fotografia, etc).
Pensando nisso, refleti se seria possível falar de música de uma forma que despertasse a curiosidade de qualquer pessoa.

Resolvi dar uma olhada em uma das minhas estantes repletas de CDs e LPs (os antigos discos de vinil) e minha visão foi direcionada para uma antiga caixa com quatro discos que eu não mexia nem ouvia há muitos anos. Estava ali o que eu procurava! Para interessar a todos, um assunto que é universalmente importante: a nossa saúde.

A abordagem pode ser diversificada, afinal música é momento e, para cada instante, uma trilha sonora adequada.
Fazer um saudável exercício aeróbico na academia exige uma música mais agitada. Para correr na praia basta o som das ondas, que também é relaxante.
Mas haveria uma música mais "calma" especificamente para ajudar na saúde?

Me lembrei que nos anos 90 havia feito um artigo para o jornal Metamúsica exatamente sobre essa temática e a referência era essa mesma musical box.
No citado artigo tentei desvendar as possibilidades oferecidas pela música como elemento de auxílio à preservação ou recuperação da saúde.
Não foi um artigo sobre musicoterapia e sim sobre sons que facilitam o fluir das informações de auto-cura que cada um traz dentro de si.
O título era “O Poder da Música – Muito Além dos Sons”.
Trabalhos de Jim Oliver, Dr. Jeffrey Thompson, Deuter e Steven Halpern (Ph.D.) compõe a coleção.

Não pretendo reproduzir o artigo aqui, que é longo, mas mostrar algumas composições e alguns comentários dos autores, pesquisadores e músicos.
Está dentro da idéia de “Medicina Quântica”: as exigências atuais costumam nos jogar em inesperadas ondas de estresse. A mente, a alma e o corpo respondem a isso, criando doenças físicas, psíquicas e espirituais.
A busca de uma melhor atitude mental deve ser contínua e traz benefícios individuais, familiares, comunitários, planetários e cósmicos. Não se trata de ‘esoterismo’, mas da realidade que – do micro ao macro – somos um único organismo vivo.

A melhor forma de fazer um resumo do tema é lermos o que opinam os autores/músicos presentes nesta seleção. Cada um deles tem uma forma de trabalhar nas suas construções musicais que buscam oferecer saúde (em todos os níveis) aos ouvintes interessados.

Seguem alguns trechos dos depoimentos que selecionei. Acho que se identificarão com alguns dos comentários - até porque, nesta época tão complexa, tão difícil, o que precisamos é de momentos de paz:

“Nós geralmente nos vemos presos a arrependimentos quanto ao passado e temos grande ansiedade sobre o futuro. A música pode nos ajudar a curar a separação que isso cria e nos permitir viver de fato no presente.” (Jim Oliver)

“Tudo vibra na natureza. Pensando em doença eu argumentei que doença é ‘des-harmonia’, ‘des-tempero’, ‘dis-torção’, ‘dis-sonância’, ‘des-ilusão’ e ‘des-conexão’ (fragmentação da psique). Eles são sinônimos da mesma coisa – não ser um todo, conectado e integrado”. (J.O.)

“Os sons específicos remetem-se às áreas específicas, mas a combinação dos sons em ‘música’ é o que envolve as emoções. Sem cura no nível das emoções e da alma não pode haver uma cura completa no corpo físico”. (J.O.)

“Usando o som, é possível fazer mudanças profundas nos padrões de ondas cerebrais e estados de consciência, observáveis em equipamentos de mapeamento de ondas cerebrais (eletroencefalograma), bem como mudanças positivas no corpo, mensuráveis através de testes de sangue, equipamento de biofeedback e outros procedimentos sofisticados”. (Dr. Jeffrey Thompson)

“Em minhas gravações costumo utilizar três classes de sons: ‘sons primordiais’ (nossa primeira experiência sensorial, ainda como feto, que tem semelhanças com sons captados pela nave Voyager), ‘transferência de ondas cerebrais’ (utilização de ondas alfa e theta; certos arranjos podem criar uma atmosfera de paz, mistério, maravilha e abertura) e ‘música mística em múltiplas camadas’ (com efeitos em 3D, sendo melhor ouvir com fones de ouvido).” (Dr. J.T.)

“Todo desconforto e estresse, toda doença e mal-estar tem a tensão como uma das suas causas principais. Um profundo e total relaxamento, portanto, formará a base de qualquer cura verdadeira e duradoura” (Deuter)

“Nós vivemos em uma sociedade que chama nossa atenção para o exterior, onde todas as energias, todos os objetivos e esforços são direcionados para fora. Portanto, encontramo-nos em desequilíbrio pouco saudável, que nos fará sentir vazios. A música e os sons e a proximidade com a natureza (mar, florestas) podem ser um caminho para nosso interior, para nosso bem estar” (Deuter).

“A base da minha abordagem de curar através da música é empregar a sabedoria própria de corpo/mente e a habilidade geneticamente programada de curar-se, ao apresentá-las com as vibrações apropriadas. Minha intenção sempre foi usar a música e o som para ajudar o corpo a entrar em seu estado natural de equilíbrio e harmonia. Sabemos como equilibrar e curar a nós mesmos, se nos for dada a oportunidade e o encorajamento para tal. Fazemo-lo automática e efecientemente quando estamos em total relaxamento.” (Steven Halpern, Ph.D.)

“Autoridades médicas tem documentado os efeitos benéficos da música através de exames específicos, de maneira que não se trata apenas de crença ou gosto musical. Além das mudanças físicas eu acredito que há um efeito no nível da alma, e que há de fato uma ressonância celular acontecendo no ouvinte, ressonância esta que auxilia o corpo, a mente e o espírito a restabelecerem sua conexão com o Criador, a Fonte (ou qualquer outro nome mais apropriado para você).” (S.H.)

A seguir dois videos, dentro do tema abordado: momentos de introspecção para auxiliar a alcançar, através de sons, o controle do estresse (causador de problemas de saúde). Só para relaxar...



6 comentários:

  1. Muito interessante, sobretudo nos dias corridos de hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Precisamos dar uma parada de vez em quando...

      Excluir
  2. Extremamente relaxante, Marquinhos. Obrigada por nos proporcionar estes momentos!

    ResponderExcluir
  3. Me interessei muito pelo tema Marcos Oliveira.
    Obrigado!
    Vou pesquisar na Internet, You Tube e Spotify sobre as músicas e o tema.
    Momentos de meditação em nosso dia a dia significam cura e paz. Obrigado por dividir conosco seus conhecimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um prazer proporcionar isso Jefferson! Abraço!

      Excluir