sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Demis Roussos: Para Sempre e Sempre

Assim tá ficando difícil.
No post "A Última Viagem Cósmica de Edgar" (vejam abaixo), eu disse que tinha muita gente boa morrendo ultimamente.
Pois além de perder um amigo (que não via há muito tempo, é verdade, coisas da vida) da época da Escola Técnica esta semana, soube agora que o cantor grego Demis Roussos também morreu no domingo passado, dia 25.
Gostava muito dele.
Normalmente associamos vozes angelicais ao timbre feminino, mas a voz de Demis poderia ser citada sim como sendo "celestial".
Começou sua carreira com o grupo grego de Rock Progressivo Aphrodite's Child nos anos 1960, junto com outro grego famoso que depois trabalharia com ele em sua carreira solo: o grande Vangelis.
Sinceramente não estou com clima para escrever sobre sua partida. 
Reproduzo parte do que consta na Wikipedia, bem como duas de suas canções mais famosas.
Descanse em paz Demis Roussos.


"Demis Roussos, nome artístico de Artemios Ventouris Roussos, (Alexandria, 15 de junho de 1946 - Atenas, 25 de janeiro de 2015) foi um cantor grego, nascido no Egipto. Artemios acabou sendo abreviado para Demis.

Filho de pais expatriados (George e Olga), tanto ele quanto os pais nasceram no Egito. Demis nasceu e foi criado em Alexandria. Três anos depois nasceu seu irmão Costandinos.

O cantor foi fortemente influenciado pela música árabe. Aos dez anos de idade, fã do estilo jazz, aprendeu a tocar trombeta. Depois dos seus pais terem perdido tudo, após a Crise do Canal de Suez, a família voltou para a Grécia, quando Demis tinha quinze anos. Sua mãe, Olga, é mais conhecida pelo nome artístico de Nelly Mazloum.

A partir de então, Demis participa em vários grupos musicais. O primeiro, com dezessete anos, “The Idols”, quando tinha de trabalhar para sustentar a sua família. Já nesse grupo Demis começa a destacar-se como cantor, a partir do momento em que é solicitado para substituir o vocalista que estava cansado, para cantar algumas músicas (o que começou com The house of the rising sun e When a man loves a woman, que posteriormente viria a gravar em carreira solo.

Com o compositor Lakis Vlavianos, Roussos deu início à banda “We Five”, já como vocalista principal. Mas só se torna mais conhecido a partir de 1968, com a banda de rock progressivo “Aphrodite's Child”, formada no Reino Unido, para a qual Demis se associa a outros dois músicos gregos, respectivamente Vangelis (ou Vangelis Papatanassiou) e Loukas Sideras, primeiramente como vocalista, depois também como guitarrista e baixista. Vangelis ficou como compositor principal e teclista, enquanto Loukas cuidava da bateria.

No entanto, por falta de permissão para trabalhar em Inglaterra, o grupo mudou-se para Paris, então no auge da Revolução de maio de 1968. O primeiro álbum foi “Rain and Tears”, que obteve um tremendo sucesso e vendeu um milhão de discos apenas na França, altura em que nasce a sua primeira filha, Emily.

Nos três anos seguintes o desempenho do grupo foi excelente. Com uma voz ao estilo de ópera de Roussos, a banda passou a ter sucesso em nível internacional, inclusive com o álbum “666”, lançado em 1970. Logo após o lançamento dessa obra, que foi criticada por aspectos satânicos, o boicote dos cristãos da Europa aos seus shows, provocou série de cancelamentos de agendas e leva o encerramento do grupo.

Com o final do Aphrodite's Child, Demis continuou a gravar com Vangelis, seu ex-colega de banda. Publicaram os álbuns “Sex Power", de 1970, “Magic Together”, em 1977. A obra de maior sucesso da dupla foi “Race to the End”, vocalmente adaptada da trilha sonora do filme “Chariots of Fire”. Roussos também participou como convidado da trilha sonora do filme “O Caçador de Androides - Blade Runner)”, em 1982, filme de culto considerado o melhor da década de 1980.

Face ao seu sucesso como cantor, enquanto vocalista dos Aphrodite’s Child, a gravadora propôs-lhe gravar o seu primeiro compacto solo, com a canção We Shall Dance. Logo a seguir gravou o álbum “On the Greek Side of My Mind”, o qual, juntamente com o mencionado compacto, estourou como os 5 discos mais vendidos em toda a Europa, inclusive a  Escandinávia.

Demis Roussos consagrou-se, então, como cantor em 1971. Pouco depois Roussos reencontrou-se com Lakis Vlavianos, ex-colega do “We Five”. Lakis então compôs e Roussos gravou várias canções que ocuparam o primeiro lugar nas tabelas de vendas de vários países, entre as quais, Forever and ever, My friend the wind, Velvet morning, também conhecida como Tric Tric Tric, entre outras.

Destacaram-se também, na década de 1970, os sucessos My reason; Goodbye, my love, goodbye; Someday, Somewhere e Lovely lady of Arcadia. Ganhou um disco de ouro com seu LP “Demis”, o qual foi seu único sucesso nos Estados Unidos. Por outro lado, o cantor fez muito sucesso na Europa e na América Latina.

Após o nascimento do filho, Cyril, em 1975, o cantor grego ficou os próximos oito anos fazendo tournés pelo mundo fora, juntamente com sua segunda esposa e o filho. No Brasil, conseguiu lotar o estádio Maracanã com capacidade para 150.000 pessoas, façanha apenas conseguida por Frank Sinatra.

Foi citado no Livro de Recordes de Guinnes como personalidade de destaque do mundo do entretenimento musical das décadas de 1970 e 1980. Foi contemplado com mais de 100 discos de ouro, platina e diamante.

Em 1978, Demis decidiu retirar-se dos palcos temporariamente e mudou-se com a família para um lugar onde não era conhecido, a saber, a Praia de Malibu, no Estado da Califórnia (EUA). Emagreceu então 54 quilos e decidiu aproveitar a vida viajando pelo mundo.

Depois de algum tempo, ainda no estilo de vida pacata, mudou-se dos EUA e, com seu filho Cyril, passou a alternar residência entre a Inglaterra e a Grécia.

Em 14 de junho de 1985 ocorreu um fato que Demis considerou como um separador de águas na sua vida: juntamente com sua terceira esposa, o avião da TWA no qual viajavam de Atenas a Roma foi sequestrado. O fato de ver a morte de perto levou o cantor a refletir sobre o valor da vida, decidindo reassumir sua carreira de cantor, com gravações e shows ao vivo, como forma de contribuir para um futuro melhor para a humanidade.

Gravou então mais vinte canções, e compilou o álbum “The Story of Demis Roussos”. Paralelamente, Roussos participou de eventos voltados para soluções de problemas humanos, como, por exemplo, o fórum pela paz e desarmamento (Kremlin, Moscou, em fevereiro de 1987) . Preocupado com problemas ambientais, participou também da Reunião de Cúpula da Terra, no Rio de Janeiro.

A partir de 2004, Demis Roussos viveu uma vida mais sossegada à beira mar em algum lugar da Grécia, gozando os louros de ser considerado um dos cantores mais talentosos do século XX. Em 2005, após 25 anos, Demis Roussos retornou ao Brasil e fez três apresentações. Seu último disco foi lançado em 2009.

Demis Roussos faleceu no dia 25 de janeiro de 2015, após permanecer um longo período internado em um hospital de Atenas - Grécia. A filha Emily (do primeiro casamento) anunciou que o pai morreu de um câncer fulminante no estômago. "




Um comentário:

  1. Eu também não sabia. Você está certo, mais uma grande perda musical.

    ResponderExcluir