quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Charlie Hebdo

Sem palavras para descrever o absurdo.
Injustificável ato terrorista e bárbaro. O extremo do extremo.
Mas fica a questão: até onde se pode ir ou qual o limite, a fronteira (se existir) em que se deve parar em nome da "liberdade de expressão"?
Uma coisa é a teoria, a filosofia, os anseios. A outra é a vida real. Quantos ainda morrerão de todos os lados?
É necessária uma ampla discussão a respeito para que haja liberdade ao lado de segurança e tranquilidade.
Nosso apelo à paz e nossas homenagens aos artistas sacrificados.










Nenhum comentário:

Postar um comentário