sábado, 17 de janeiro de 2015

Afetos


Uma amiga solteira andou reclamando das poucas opções disponíveis para quem busca um relacionamento. E que nem precisa ser tão sério.
Segundo ela, atualmente desconfia quando vê um bom partido. A possibilidade do mesmo ser casado ou ser gay é grande e é real.
Como é gaiata, disse que a primeira opção não é empecilho (o casado), mas a segunda, obviamente, não dá.
Outra disse que o número de mulheres cuja opção afetiva encaminha-se para outra mulher tem aumentado e isso teria relação direta com o que foi dito acima.
"Observe atentamente o número de cantoras de MPB e suas seguidoras", disse-me ela com um exemplo um tanto quanto curioso.
Não sei se existe um estudo do IBGE sobre as opções afetivas dos brasileiros e brasileiras, mas observando superficialmente é bem capaz das amigas estarem certas.
Seria um fato novo ou porque só agora há uma maior demonstração das preferências?
Antropólogos mais vanguardistas apontam que no futuro essa questão sexual não será tão relevante e o que mais predominará será a bissexualidade ou, no limite, a assexualidade.
Ainda bem que não sou do futuro. Sem preconceitos.
Mas me preocupo com as mulheres heterossexuais de agora, se for mesmo verdade as observações das amigas.
É fato que no país nascem mais mulheres que homens. O que complica mais a situação. Para elas. Para os homens héteros tá um paraíso.
Dizem que a engenharia genética poderia dar um jeito em todas essas situações mas correríamos o risco de termos um "admirável mundo novo", preconizado por Aldous Huxley lá pelos idos da década de 1940. Melhor não arriscar.
Cabe aos homens (que gostam da coisa boa) se fazerem presentes com toda a gentileza que as mulheres merecem.
Sem ser "sexista", "machista" ou considerado levemente idiota por tocar neste assunto, acho que tod@s - independente da opção sexual - merecem um lugar ao sol. E na cama. Com romantismo, por favor.

Nossa sempre presente trilha-sonora:
As melhores canções românticas feitas atualmente na MPB são obras de cantoras, como esta ótima adaptação (de uma música italiana) da Ana Carolina, que fez muito sucesso há alguns anos.



"Pense Grande", Óleo Sobre Tela, 113 x 90 cm, Cláudio Dantas

Nenhum comentário:

Postar um comentário